Arquivo da categoria: Ensino Médio

Dinâmica para o ensino médio: “A Possível Fundação do Estado”

Hoje, nas minhas aulas de filosofia, para os terceiros anos do ensino médio, desenvolvi uma dinâmica que já desenvolvo há alguns anos, quando vou trabalhar com Política. Normalmente, seguindo a abordagem de Jonathan Wolff, em seu livro “Introdução à Filosofia Política“, que inicia falando da noção de “Estado de Natureza”, fiz uma dinâmica para que os meus alunos refletissem sobre o que há antes da ordem social. Ela consiste no seguinte:

  • Dividir as turmas em grupos;
  • Cada grupo deve ser uma espécie de estado pré-social;
  • Cada grupo deve criar uma lista de 3 princípios para que uma ordem social seja possível;
  • Dar uns 15 minutos, e depois pedir para que cada grupo apresente esses princípios, listando-os no quadro;
  • Depois de todos os grupos terem apresentados, e todos os princípios terem sido listados (desconsiderar princípios repetidos), pedir para os alunos pensarem em qual é o mais elementar, o mais fundamental;
  • Além disso, problematizar se alguns princípios não pressupõem a existência da sociedade (os alunos listam, que é preciso haver punição para crimes, liberdade de ir e vir, igualdade, etc., princípios que, obviamente, pressupõem a existência da sociedade). Dá para fazer uma boa discussão.

A abordagem do tema fica a critério do professor. E os princípios que os alunos vão apresentar são indefinidos. Na maioria das turmas eles falaram que era preciso eleger um líder. Nesse sentido, dá para fazer, nas devidas proporções, é claro, um gancho com a filosofia de Thomas Hobbes. Mas a ideia da atividade é apenas fazer um experimento mental e mostrar que esse tipo de reflexão foi muito desenvolvida no século XVII. Fica a dica aí.

Anúncios

Diálogos com a escola: experiências em formação continuada em filosofia na ufrgs

O livro é resultado do Curso de Formação Continuada em Filosofia para professores do Ensino Médio no Rio Grande do Sul, realizado entre 2012 e 2013 sob a coordenação da professora Priscilla Tesch Spinelli do Departamento de Filosofia da UFRGS. O curso é uma das parcelas do FORPROF UFRGS, que por sua vez faz parte do Plano Nacional de Formação dos Profissionais da Educação Básica do Ministério da Educação, o PARFOR.

Continuar lendo

A escola pode pensar a escola? Uma proposta de currículo

Ontem, dia 15 de Outubro foi o dia do professor e, como de costume,  trouxe consigo reflexões sobre as dificuldades da carreira (baixos salários, desvalorização institucional….). Mas há uma reflexão que também é digna de nota e que diz respeito as instituições escolares. É nessa via que o excelente vídeo (infelizmente só em inglês) de Sir Ken Robinson, Changing education paradigms, percorre. Esse material lembrou-me de uma apresentação que fiz no II Seminário de Educação do Colégio Militar de Porto Alegre, cujo título foi “A Filosofia pensando a Educação e a Escola com estudantes do Ensino Médio”. Continuar lendo

As Faculdades de Educação e as Políticas de Formação de Professores

Ciclo de debates “As Faculdades de Educação e as Políticas de Formação de Professores” será realizado no dia 08 de outubro. Na mesa, participam Iria Brzezinski e Luis Távora Furtado Ribeiro, e as debatedoras Sônia Ogiba e Russel Dutra Rosa.

O evento é uma realização da Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação, Fórum Nacional de Diretores de Centros e Faculdades Públicas de Educação, Faculdade de Educação (FACED) e Comissão das Licenciaturas da FACED e será no Auditório da Faculdade de Arquitetura da UFRGS (Av. Sarmento Leite, 320) das 14h às 18h.

Notícia extraída do site da Ufrgs.

Filosofia, redação e argumentação

Em meu post anterior, Por que estudar Filosofia e a redação no ENEM, busquei mostrar como, a partir da proposta de redação do ENEM, a disciplina de Filosofia ganha uma importância fundamental e gostaria de falar mais sobre alguns pontos. Continuar lendo

Por que estudar Filosofia e a redação no ENEM

É uma pergunta constante o motivo pelo qual as pessoas devem estudar Filosofia, principalmente quando se trata da educação básica. Há muito o que se falar sobre isso. Googleando encontramos uma diversidade de respostas tão grande quanto são as respostas que buscam determinar o que é filosofia: ou, como costuma se interpretar a tão famosa passagem de Kant (“Não se ensina Filosofia, mas a filosofar”), pensar sobre a natureza da Filosofia já é filosofar. Continuar lendo